Como emagrecer de forma saudável no século XXI?

Atualmente, é muito comum que as pessoas busquem por profissionais especialistas em emagrecimento e saúde: clínicas de estética, Nutricionistas, Endocrinologistas, Gastroenterologistas etc. A busca pelo corpo perfeito tornou-se uma febre mundial e uma de nossas maiores dificuldades enquanto profissionais é mostrar à sociedade a nossa importância e a importância do emagrecimento saudável.

O advento da cirurgia bariátrica, por exemplo, faz com que pessoas obesas depositem suas esperanças na perda de peso rápida (infelizmente). Mas esse tipo de emagrecimento – assim como outras técnicas encontradas como as dietas da moda – pode não ser saudável (lembrando que cada organismo responde de uma forma e que cada ser é individualizado, com suas características bioquímicas e fisiológicas intrínsecas, as quais devemos respeitar e zelar).

Em estudo conduzido por HAUSER, BENETTI & REBELO (2004), a obesidade é um grave problema de saúde pública, principalmente por estar associada a diversas comorbidades (eventos cardiovasculares, articulares, pulmonares, gástricos, dentre outros), mesmo não representando, isoladamente, grande causa de morte. Para tanto, tendo em vista a prevenção desse problema e, consequentemente, das comorbidades, os autores sugerem que os indivíduos devem recorrer a mudanças no estilo de vida (como reeducação alimentar, por exemplo) e à inserção de exercícios físicos em sua rotina diária.

SANTOS (2010), em pesquisa realizada acerca do comer contemporâneo (da dieta à reeducação alimentar) e sua representatividade na internet, informa que é importante nos alimentarmos com base em três pilares básicos:

1) ESTÍMULO & MOTIVAÇÃO: Compreende o apoio psicológico necessário ao estímulo do indivíduo em se alimentar adequadamente, bem como o marketing utilizado para isso;

2) COMER DE TUDO: Comer moderadamente para inserir todos os alimentos nas refeições, a fim de nos alimentarmos com prazer;

3) SEM PASSAR FOME: Aprender a controlar o apetite e comer nos horários adequados.

De maneira mais clara e consistente, a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (ABESO apud SANTOS, 2010), cita o seguinte: “Quando você entra em regime alimentar, há sempre a implicação de que, cedo ou tarde, irá terminá-lo. Se você fizer isso, pode ter certeza que sua gordura voltará e, geralmente, uns quilinhos a mais de bônus. É claro que regimes são extremamente chatos e não se adequam ao dia a dia. Ao invés de tentar um regime severo e chato por toda a vida, que tal mudar seus hábitos alimentares e dar início à REEDUCAÇÃO ALIMENTAR? As imprudentes dietas ditadas pela moda falham quase sempre. Por isso, emagrecer de uma maneira natural é a melhor e mais segura alternativa hoje”.

O que podemos observar nos dias atuais, é que se tornou moda falar de alimentação e nutrição e, por isso, temos inúmeros sites falando a respeito. Muitos deles, ainda conforme abordado por SANTOS (2010), veiculam que emagrecer de forma saudável, equilibrada e natural, através da adoção de novos hábitos alimentares, é a melhor opção, na qual aborda os três pilares do comer contemporâneo descritos acima. Entretanto, é de suma importância que nós, seres humanos, eduquemos nossos desejos, a ansiedade e a compulsão por comer e isso é um aprendizado permanente. Com base neste foco, atingimos o objetivo de emagrecer com qualidade, saúde e segurança, participando ativamente da vida social que nos cerca, com maior propensão de sermos feliz, elevando-se a autoestima e vivendo-se em harmonia com o próprio corpo.

Leia também: Dietas de emergência funcionam

Considerando o exposto, uma técnica muito importante e, talvez, pouco ou não conhecida dentre os Nutricionistas, é a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC). Esta é uma área de especialização da Psicologia, mais precisamente, porém outros profissionais como os Nutricionistas, por exemplo, podem fazer. A TCC é uma técnica que aborda métodos inteligentes para a mudança de hábitos alimentares (neste contexto), considerando-se o homem em sua totalidade, capaz de modificar sua vida em detrimento de seus objetivos.

Leia também: comprar Kifina

Leia também: Phytophen é bom

Em estudo delineado por NEUFELD, MOREIRA & XAVIER (2012), acerca da TCC em grupos de emagrecimento, é válido informar que esta técnica foi bastante eficaz nos 10 grupos de emagrecimento em que foi aplicada (cada grupo com 05 participantes, totalizando 50 indivíduos). O tratamento teve duração de 03 meses, quando foram realizados 12 encontros. Ao final, os resultados obtidos foram muito interessantes, relevantes e positivos: houve melhora clínica no que tange às dificuldades interpessoais, ao grau de adaptação social, à autoestima, aos níveis de ansiedade, ao sentimento de bem estar, à diminuição da compulsão alimentar e, obviamente, redução objetiva do peso.

Portanto, a TCC é uma técnica que pode levar em consideração os três pilares do comer contemporâneo abordado nesta publicação, tornando mais fácil a adesão de pessoas obesas (e até mesmo acometidas por transtornos alimentares, mesmo não sendo obesas) à reeducação alimentar.

Em suma, é fundamental que indivíduos obesos busquem por apoio profissional o quanto antes, com o intuito de regredirem seu problema, culminando em aumento da autoestima, conhecimento e prática do prazer em se alimentar de forma saudável e do prazer em se relacionar com outras pessoas sem culpa e convictos de que fazem parte no mesmo nicho social. Contudo, o NUTRICIONISTA e o PSICÓLOGO são indispensáveis. Ambos devem trabalhar em conjunto para que os resultados sejam mais realistas e positivos.
REFERÊNCIAS:

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *