Como usar óleos essenciais

Como usar óleos essenciais

Formas de Utilização dos Óleos Essenciais
Existem diversas formas de se beneficiar dos óleos essenciais e tirar proveito do que eles podem oferecer. A seguir, veja os principais métodos utilizados pela Aromaterapia, mas não esqueça de que é sempre possível criar novas formas de uso para se beneficiar dessa dádiva dos deuses.

Leia também: Óleo de baobá cabelo

Inalação:

A inalação do vapor do óleo essencial é um excelente método para tratar tanto os problemas respiratórios, como gripes, resfriados e sinusites; quanto os problemas emocionais, como ansiedades ou ataques de pânico. Ao utilizar um vaporizador, acrescente apenas uma gota de óleo essencial ao soro fisiológico. Já em uma tigela, acrescente até 9 gotas para dois litros de água fervente. Posteriormente, coloque uma toalha sobre a cabeça e respire profundamente. Dessa mesma forma, é possível fazer uma limpeza profunda na pele do rosto. Durante todo o processo, é conveniente manter os olhos fechados.

Massagens em geral:

Esse é o tratamento clássico que proporciona ao organismo a possibilidade de autocura. Durante a massagem, o efeito terapêutico dos óleos essenciais ocorre tanto pela inalação dos aromas quanto pela absorção cutânea. A massagem desencadeia a estimulação do fluxo sanguíneo e do líquido linfático, além de atuar sobre o sistema límbico, que é responsável pelos sentimentos. Para uma massagem, deve ser usada uma diluição de, em média, 2%, que serão 50 gotas de óleos essenciais para 100 ml de óleo vegetal, também chamado de carreador. Como a pele é o maior órgão do corpo, ela fica diretamente exposta a poluição, toxinas e outros fatores agressivos do meio ambiente. Por isso, ela também é o melhor local para a aplicação dos óleos. Em torno de 20 minutos após o início da massagem, eles começam a ser absorvidos, propiciam limpeza e sensação de relaxamento. Mesmo que haja excesso de absorção, o excedente é eliminado pela urina ou através da exalação que ocorre pelos poros. Se a massagem for facial, os óleos carreadores mais indicados são os de jojoba, rosa mosqueta e semente de uva.

Aromatizadores/Difusores:

Os recipientes utilizados para a difusão dos óleos essenciais em ambientes diversos, como em escritórios ou casas, são conhecidos como aromatizadores, difusores ou vaporizadores. A utilização deles é bastante simples. Aqueles que funcionam com vela devem ter a parte superior preenchida com água e aproximadamente 10 gotas de óleo essencial. Enquanto a vela, que fica na parte inferior, aquece a água, a fragrância natural vai sendo liberada lentamente no ambiente. O uso desse tipo de difusor ou vaporizador é desaconselhável em áreas com grandes correntes de ar ou enquanto se dorme. Entre os aromatizadores elétricos, já existem aqueles que informam a quantidade de óleo essencial a ser utilizada. Os aromatizadores elétricos trabalham por processo de difusão, por evaporação ou simplesmente por propagação de partículas de óleos essenciais. Independente do tipo, os aromatizadores são excelentes para ajudar a relaxar, auxiliar o sono, estimular a mente durante os estudos ou para criar um ambiente sensual.

Banhos terapêuticos:

No banho quente, os óleos essenciais entram em contato com a pele ao mesmo tempo em que são inalados e a absorção de suas propriedades ocorre tanto pela epiderme quanto pelo sistema respiratório. Em banhos de imersão são necessárias de 15 a 20 gotas de óleo essencial para uma banheira tamanho padrão, além de uma colher de óleo carreador, mel ou leite em pó, para que ele se disperse na água. Uma boa alternativa é fazer o óleo de banho com 10 ml de óleo vegetal de germe de trigo e 90 ml de óleo vegetal de semente de uva. Nessa mistura de 100 ml de óleo carreador, devem ser acrescentadas 75 gotas de óleos essenciais. Para misturá-los, basta agitar bem. Guarde o blend obtido em um vidro âmbar e use uma colher de sopa para cada banho. A mesma mistura também pode ser usada no chuveiro, após a ducha. Nas duchas, os óleos devem ser aplicados no corpo todo, com o auxílio de uma bucha em movimentos circulares, para facilitar a permeabilidade no sistema tegumentar, e alcançar a corrente sanguínea. Para finalizar, basta enxaguar-se com uma ducha de água mais fria que a usada no banho.

Compressas:

Em uma tigela, acrescente um litro de água bem quente e aproximadamente 10 gotas de óleo essencial. Mergulhe uma toalha de mão ou uma fralda de pano na tigela, retire o excesso de água e a coloque sobre a área desejada. Repita essa operação quantas vezes achar necessário. As compressas são ideais para artrites, reumatismos, dores nas ‘juntas’, de cabeça ou musculares. Para fazê-las frias, o procedimento é o mesmo.

Pomadas:

Para preparar uma receita caseira de pomada, use creme neutro e óleo vegetal. Depois de agregá-los, acrescente os óleos essenciais.

Escalda-pés ou pedilúvio:

Para refrescar pés doloridos e cansados, utilize uma bacia ou tina com 2 litros de água quente e, aproximadamente, de 10 a 15 gotas de óleos essenciais adequados, sempre diluídos em algum veículo (poderá ser sal do himalaia, vinagre e/ou óleos vegetais).

Banho de mãos ou manilúvio:

Ideal para amaciar a pele áspera. Um SPA completo para as mãos começa com uma esfoliação, para retirar as células mortas. Em seguida, coloque em uma bacia um litro de água morna, 2 colheres de sopa de vinagre de cidra (maçã) e 10 gotas de óleo essencial adequado. Mergulhe as mãos nessa mistura. Em seguida, ‘envelope-as’ com plástico filme (de uso culinário) por cerca de 20 minutos. O tratamento pode ser finalizado com a manicure completa.

Sauna:

Adicione, no borrifador, 300 ml de água e 15 gotas de óleo essencial de hortelã pimenta ou eucalipto (glóbulos ou citriodora).

Aplicação direta:

Existem ocasiões específicas, como em casos de primeiros-socorros, nas quais a aplicação dos óleos essenciais diretamente na área afetada é segura. Mas os únicos óleos que podem ser usados topicamente (direto na pele) são os de lavanda, de tea tree e de copaíba.

Gargarejo:

Indicado principalmente para dores de garganta e mau hálito. Coloque em um copo com água morna uma gota de óleo essencial e faça gargarejos. Mas, lembre-se de que o líquido não deve ser engolido.

Inalação por meio de lenços:

É uma maneira fácil de utilizar os óleos essenciais. Basta adicionar de 3 a 4 gotas de óleo essencial em um lenço e inalar profundamente. Excelente para resfriados, dores de cabeça, enjoos de viagem ou simplesmente para aliviar o cansaço.

Inalação em inalador elétrico

Colocar 10 ml de soro fisiológico, e acrescentar apenas 01 gota do óleo essencial desejado, seja este para problemas respiratórios, ou para acalmar.

Emanação de travesseiro:

Perfumar o travesseiro com 2 ou 3 gotas de óleo essencial é ótimo para relaxar ou aliviar a insônia. Coloque as gotas em um pad de algodão e coloque-o entre a fronha e o travesseiro.

Sachês ou Pout-Pourri:

Para deixar um aroma agradável dentro dos armários ou em qualquer ambiente da casa, use recipientes como rolhas, algodão, folhas ou trouxinhas de tecido. Para aromatizar qualquer um desses materiais, pingue algumas gotas de óleo essencial. Posteriormente, espalhe-os onde quiser. Para as sapateiras, o mais indicado é utilizar bolinhas de madeira ou chumaços de algodão, com gotas de óleos essenciais de tea tree ou cipreste.

Lareira:

Para obter toras de madeira aromatizadas, coloque aproximadamente 7 gotas de óleo essencial em cada pedaço, uma hora antes de acender o fogo. Entre os óleos adequados, use os de cipreste, pinho ou cedro. Com a lareira acessa, o aroma será liberado aos poucos, deixando o ambiente aconchegante e delicioso.

Aqui no Brasil, não utilizamos os modos:

Via Oral – Escola Francesa
Via Retal – Escola Francesa
Via Patch – Muito utilizada nos EUA

Para nossa regulamentação, estas são práticas médicas.

Tampouco indicamos este formato, por duas razões:

1 – Não conhecemos todas as qualidades de óleos essenciais vendidos no Brasil e se na verdade são de grade terapêutica, sem nenhuma adição de outros compostos naturais (tais como aldeídos naturais, entre outros ativos extraídos das plantas, mas usados para adulterar alguns óleos essenciais), ou ainda se são óleos essenciais adicionados de outras substâncias sintéticas, o que chamamos de óleos técnicos, muito usados na perfumaria, porém hoje em dia sendo vendidos no mercado brasileiro como óleos essenciais 100% puros e naturais. Como não sabemos, a origem da maioria dos óleos essenciais, sendo um perigo à saúde,( sua ingestão ) que tanto queremos preservar.

2 – Se, ao estudarmos, saberemos que os óleos essenciais são permeáveis, e conseguimos excelentes resultados pelo seu uso tópico ou em massagem, seguindo a Escola Inglesa, por que os ingerir?

O modo via retal ainda não é utilizado, pois não conseguimos produzir aqui no Brasil os supositórios e tê-los à venda com registro na indústria cosmética, que é a forma que a Anvisa libera o uso de óleos essenciais, até a presente data.

O modo via patch também não é utilizado, pois também ainda não há a possibilidade de serem fabricados aqui no Brasil pela indústria cosmética.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *